Fechar

Fale com nossa equipe

BLOG DE NOTÍCIAS

DICAS

Botox®, laser, preenchimento… Escolha errada do profissional pode gerar graves consequências

É comum a mídia noticiar casos de pessoas que tiveram algum tipo de complicação, principalmente na região da face, em razão de procedimentos estéticos. A demanda crescente faz aumentar também a oferta de tratamentos no mercado, o que exige do paciente atenção redobrada na hora de escolher um profissional. Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), somente em 2016 foram realizados mais de 1,3 milhão de procedimentos envolvendo aplicações de toxina botulínica (Botox®), uso de lasers e uma série de outros tratamentos.

 “Por se tratar de procedimentos fora da sala de cirurgia, muitas pessoas têm a falsa impressão de que não correm qualquer risco ao se submeter a um preenchimento facial ou sessão de peeling. Entretanto, a maioria desses tratamentos envolve o uso de produtos e tecnologias que exigem alto conhecimento do especialista”, alerta Alexander Nassif, cirurgião plástico membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

Segundo ele, é fundamental que o paciente procure por profissionais qualificados e habilitados para realizar o tratamento oferecido. “Um procedimento mal realizado pode trazer sérios danos, como queimaduras, manchas, cicatrizes e deformidades faciais”, diz.

 

Principais tratamentos realizados

 – Preenchimento com ácido hialurônico: bastante usado para corrigir rugas, sulcos e cicatrizes. Qual o risco? Se o produto for aplicado em excesso ou em uma área errada, pode haver diversas complicações e até necrose da região afetada.

 – Peeling: usado para remover a camada superficial da pele e promover o rejuvenescimento facial. Qual o risco? Quando feito de maneira incorreta, pode causar a piora das manchas e, em casos mais graves, provocar queimaduras no paciente. Mesmo caso do laser, que também pode queimar a pele em diversos graus.

 – Botox®: utilizado para amenizar rugas e marcas de expressão. Qual o risco? Pode provocar efeitos adversos, como a assimetria da face ou o congelamento das expressões faciais.

Sobre Alexander Nassif

Graduado em Medicina pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Alexander Nassif tornou-se especialista em Cirurgia Plástica titulado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) e pela Associação Médica Brasileira (AMB). É diretor da Clínica Refine, especializada em Cirurgia Plástica Minimamente Invasiva, Endocrinologia e Fisioterapia Dermatofuncional. O médico também atua como professor convidado da UFMG na área de Cirurgia Plástica, Trauma e Urgências Cirúrgicas e ainda é membro internacional da American Society of Plastic Surgeons (ASPS).

Informações: Hipertexto Comunicação Empresarial 

Inscreva, para novidades.

Todos os direitos reservados a Pele em Pauta 2018. Desenvolvido por Agência Salt.